sábado, 14 de setembro de 2013

#Confissão: Por que eu não sou menos eu?

Postado por Júlia e Anna Julia
Olá xenti!! Decidi criar tag nova. #Confissão, vai ser uma tag semanal onde eu vou me abrir com vocês, falando dos meus dilemas e complicações =)) e aí? Que tá gentchy?
Bom.. eu nem sempre fui essa idiota babaca e feliz consigo mesma. Aliás, até hoje não sou totalmente de bem comigo mesma, mas isso melhorou muito. Uns dois meses atrás, mais ou menos, eu sofri muito. Me olhava no espelho, e dizia: "Por que eu não sou magrinha? Sem esse culotezinho? Sem peitos tão separados? Sem ser míope? Por que minha bunda não tem outro formato? Por que eu não sou ruiva? Por que eu não sou menos eu e mais Eleanor Calder?" Eu tive até começo de bulimia, ia ao banheiro e provocava vômitos. Na época, inclusive, cheguei a perder merecidos 2 quilos. E eu me cortava. A parte superior das minhas coxas (que qualquer short decente tampa) até hoje têm cicatrizes disso: eu as odiava por serem tão grossas, por serem tão diferentes do que eu queria ser. Por sorte, eu tive duas amigas maravilhosas, que viram que eu não tava bem, e me convenceram que aquilo não era o correto. Mas, gente, isso é sério. Eu chorava, à noite e sozinha, querendo ter o cabelo liso, cintura fininha, não ter medo de cachorro, querendo ser menos eu; Eu chegava ao cúmulo de, no banho, fechar os olhos e falar "Meu Deus, se na hora que eu abrir os olhos eu for outra, com o corpo do jeitinho que eu quero, eu juro que vou ser eternamente grata" e fechava o olho por 15 sofridos segundos (e o medo do Chuck aparecer?HAHAH). E os abria de novo, e verificava, totalmente desolada, que meu corpo cheinho ainda tava lá. Eu não me considero gorda atualmente. Mas também não sou magra como minha amigas - a maioria das quais têm corpo de modelo. Eu encanava com roupas, com cortes de cabelo, e estilos de óculos. Estava deixando de ser eu e fazer o que eu queria pra ser elogiada, pra parecer diferente. E isso me fez sofrer, muito. Então, nas férias, eu conheci muuuita gente nova. Gente que gostou de mim do jeitinho que eu sou, sem tirar nem pôr. Gente que disse que eu era linda, quando nem eu mesma acreditava nisso; gente que me devolveu a esperança... E, hoje, eu estou feliz. E muito. Vi que não é preciso agradar a gregos e troianos. Desencanei de ser outra. E também não tenho surtos psicóticos e crises depressivas a cada vez que vejo uma menina super magrinha, com shorts larginhos e andando sem que as pernas roçem uma na outra. Parei de chorar à noite. E estou satisfeitissíma.
Alguém aí já passou por isso/está passando ? Saibam: quem não te aceita, não te merece. Fuja dessas pessoas. E procure quem te ama mesmo e seja feliz!
Kisses da Anna!

0 comentários:

Postar um comentário

 

Uma Princesa Sem Coroa Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos